NA ALEGRIA E NA BOA MESA

 

Salve, galera...

A espera do primeiro filho traz expectativas, boas acima de tudo... ao mesmo tempo, aguça o apetite... no entanto, engana-se que acha que é a mãe a única privilegiada pela fome descompensada... o papai aqui se solidariza com ela quando o assunto é a boa mesa de cada dia...

Juntos e cada vez mais fortes, estamos unidos também no revezamento do rango de cada dia, em especial nos fins de semana em Araras... ontem no almoço, um bom e velho estrogonofe fez as vezes do prato principal de domingão; no sabadão, dia de massa: dia de ravioli com molho de tomate especialmente preparado pela Cacá. Na sexta à noite, conforme já havia postado, fui em quem fez o hot morte campineiro, do jeito que ela gosta...

E claro, muita caminhada pra amenizar a bomba calórica que se avoluma a cada dia... e claro, que ela serve de pretexto para vermos as vitrines das lojas especializadas em móveis e roupas para bebês, além de claro as que vendem blusinhas e sapatos para a mamãe Carla, que não deixa barato quando o assunto é andar elegante e sempre cada vez mais linda. 

Além de comermos bem, esse lance de cozinhar juntos, revezando, só tem afinado essa parceria fantástica que a gente firmou há pouco mais de um ano e meio... estamos felizes, à espera do primeiro filho, que já terá logo de cara dois pais corujas, mestres-cuca e glutões que não abrem mão de uma boa comida e de celebrar a vida com alegria...

Uma vida saborosa regada a bons momentos para todos... e força sempre!

NÃO BASTA SER PAI... TEM QUE SABER SE VIRAR!!!

Sexta-feira à noite chegando e a criatividade de João de Paula põe à mesa um superlanche para a alegria da futura "mamãe" Carla, após uma semana relativamente curta, mas não menos cansativa...

O famoso hot dog campineiro e a coca-cola gelada ("na veia!", como gostam os fabulosos irmãos Paula Pinto) dão o tom da ceia hipercalórica que nos aguarda para hoje à noite.

O prato é uma "exigência" da Carla, cujo apetite anda aguçado e cada vez mais criativo para delírio deste mestre-cuca do improviso quando o assunto é a arte de fazer lanches, milk shake e molhos para carpaccio e massas...

Nessas alturas, quando batem a vontade e a fome, o João tem que se virar nos 30, ou melhor, nos 31... Na real, faço com gosto porque não há contentamento maior que um elogio rasgado da minha Cacá de que tudo estava muito bom...

No próximo post, vai a receita do sucesso... por enquanto, vai uma foto... apreciem sem moderação!

Força sempre...

 

E A ALEGRIA RETORNA AO MORUMBI

O São Paulo fez o dever de casa e "goleou" o Atlético Nacional (COL) por 1 a 0, ontem à noite, no Morumbi, pela Copa Copa Libertadores da América e assim segue rumo ao tetra.

A vitória magra, é verdade, mas garantiu ao Tricolor a classificação às oitavas-de-final e salvou o semestre, já que o time saiu do Paulistão no último domingo. O gol saiu da cabeça de Alex Silva.

Agora o Tricolor, primeiro colocado do Grupo 7, encara o Nacional (URU) na próxima fase. Que vengam los hermanos, porque a faturar a Libertadores é a nossa especialidade.

Eis o único gol visto da partida, visto da arquibancada... a qualidade não é das melhores, mas o que vale é bola na rede... pronto, acabou.

ASSIM COMO DEVE SER...

Eu e Carla passamos um final de semana da forma como mais gostamos: em Araçatuba, perto das pessoas que amamos... nossos pais, sogros, irmãos, sobrinhos, cunhados e toda a macacada reunida... Nem mesmo a derrota do Tricolor para o Palmeiras nos abalou... (na real, fiquei puto, mas passou, porque boa parte da família é alviverde e fiquei feliz por eles, juro que é verdade)

E nesse embalo não faltaram churrasco, coca-cola, sorvete e bagunça, do jeito que a gente gosta: cada evento simbolizava nossa celebração pelo surgimento do novo integrante das famílias Campos Ricci e Paula Pinto, o (a) nosso(a) filho(a), o primeiro meu e da Carla.

A felicidade das pessoas era clara a cada abraço e beijo que recebíamos. Nosso carinho especial a esses amigos que adoramos e que fazem parte da nossa família: Luciana Ferragini, Kamila Ursinha e Diogo Rocha, que quase pulou do carro da FR (tava de plantão, se fudeu... rsrsrs) pra me dar um abraço.

Três dias que nos encheram de alegria e disposição para enfrentar mais uma semana de trampo pela frente.

Valeu, família... no próximo dia 11 estaremos novamente juntos... agora para passar o Dia da Mães.

Grande beijo e força sempre!!!

OUÇA NO VOLUME MÁXIMO....

Sou alucinado por rock nacional, Geração 80, a verborragia e o lirismo do POP ROCK BRASIL nas letras de Renato Russo, Cazuza, mais uma pá de gente que fazia deste estilo uma maneira de expressar o que minha geração pensa(va) sobre a vida... bem diferente do que a modinha poser e emo dita hoje em dia, mas tá valendo... são as benesses de se viver em um país livre, com liberdade de expressão...

Mas essa canção abaixo arrebenta, O Nosso Mundo. É do Barão Vermelho e embalou a minha estória com a Carla e tocou no nosso casamento civil...

Fala sobre reencontro e dispensa maiores apresentações... basta sentir, ouvindo no volume máximo...

Beijão e força sempre...

OS TIOS QUE VIRARAM PAIS

Na real, a bipolaridade dos sentimentos ("Maravilha" --- "Caralho, o que eu faço agora") não está restrita ao que chamamos de transtorno... ela é perfeitamente ajustada à seqüência de sensações advindas das nossas reações, permeadas pela razão e emoção, esta última tão valorizada por este blogueiro que vos fala, ariano por natureza, nascimento e convicção. Na real, esta alternância dá sentido à vida e tira dela a sobreposição da lógica, dos números e lhe garante o equilíbrio com sangue circulante, nervos em ação, coração na ponta da bota, mas a cabeça no lugar.

Nariz de cera à parte, vamos ao lide da informação (tão preconizado na força dos meus amigos e colegas dos tempos de FR, Zé Marcos e Wesley...)!!!

Nesta quarta-feira (ontem, portanto) eu e Carla sacramentamos a certeza (que ela já tinha) de que nós dois agora somos três... O teste da farmácia aguçou, o exame de sangue constatou e o médico avalizou: estamos esperando nosso primeiro filho... ou filha, para alegria da massa são-paulina deste país. 

Pois é... o reencontro de dois estudantes do ensino médio do Anglo (mais precisamente da classe 1ºC), dos idos de 92, depois de 15 anos, não poderia ser mais bem celebrado se não fosse pelo nascimento de uma testemunha especial, que não será somente a milésima pessoa a saber desta história de João e Carla...

...Mas a mais importante e bem-sucedida cúmplice de um legado de muito amor e companheirismo, incondicionais, como são os votos de dedicação destinados aos nossos filhos, desde o nascimento, por toda a vida... porque nós sabemos que iremos amá-los para todo sempre até que o infinito permita.

Tenho motivo para achar que a paternidade nos faz renascer todos os dias... tenho o exemplo do meu pai, do meu sogro, dos meus irmãos e de um amigo que faz desse vínculo com o filho uma lição inabalável de fé, companheirismo e amor pelas pessoas - o Zé Marcos, a quem "confidenciei" nesta semana, via celular em viva voz do meu brother Diogo Rocha, em plena redação da FR, que seria o mais novo pai.

Eu e Carla experimentamos agora a sensação de sermos pais, ainda no início, é verdade... mas sabiamente preparados por nossos pais, que nos ensinaram a ser filhos; pelos nossos irmãos, que nos ensinaram a ser tios; e pela vida, que nos ensinou a ser gente e nos brindou com o melhor prêmio do mundo: ser filhos, irmãos e amigos de quem somos para todo sempre e transmitir isso às novas gerações...

Saúde e vida longa ao nosso filho para quem a vida já começou...

Amor omnia vincit... Força sempre!

João e Carla

 

 

 

 

L'État c'est moi"

Como é comum no cotidiano de pseudo-monarcas presos a um saudosimo nefasto, ainda pode ser visto no comando político da Terra da Vaca Verde o ranço da versão tupiniquim e mal-acabada de um absolutismo.

Sim, caros amigos da blogosfera despirocada: ainda há um descendente (mequetrefe, é verdade) da dinastia do Rei Sol (Rei Luís XIV), dado a batalhas e perseguições. Não é por acaso que ficou imortalizado com a frase "L'État c'est moi" (O Estado sou eu) para reafirmar sua sobreposição ao Estado de Direito, afinal ele era a lei, bajulado por uma corte subserviente e contemplativa que se orgulha dos monumentos erigidos para destacar feitos de sua majestade, não passíveis de serem tocados e, sequer, derrubados por qualquer foco de resistência... sob pena de aniquilamento.

Pois é, a tirania faz escola, o déspota deita e rola em Vaca Verde City, terra em que a lógica da decisão jurídica se submete aos caprichos de um rei (tardado) à beira da falência, financeira, moral e física.  

 

Fanfarrão chapa-quente (texto sem edição)

E a chapa esquenta na Terra da Vaca Verde... lembro-me de ter assistido ao vivo à derrubada do Muro de Berlin, acho que 1989, narrada pelo Pedro Bilau, 20 anos antes de se render ao ópio coletivo pró-confinamento da Rede BoBBBo.

Pessoas - e não obedientes serviçais cumprindo ordens, sob pena de destituição, e alguns capitães-do -mato comissionados - quebravam com ferramentas e na base do muque a materialização do Muro da Vergonha, que separava a Alemanha.  

Naquela ocasião, destruíram-se a opressão e separatismo de uma nação. Duas décadas depois, o que se vê na Terra da Vaca Verde é a derrubada animalesca de cartazes publicitários (com marca e endereços pré-fixados, pasmem!), sob alegação de poluição visual. Bem diferente do apelo humanitário e de relevância mundial para a humanidade da situação na Alemanha: eis a grande diferença do interesse público do interesse do público.

E todos vacaverdianos, pelo menos os de bom senso e com espírito crítico, sabem que isso demonstra nada mais que birra, rivalidade "unilateral", típico dos coronéis e chefes do cangaço, cujo poder é conhecido pelo combate até aniquilação do inimigo e não pela estratégia, subversão, típicas dos mais sensatos, inteligentes, que não se envaidecem com a perpetuação no trono, seja por meios próprios ou por acólitos familiares e de conveniência.

Entretanto, a Terra da Vaca Verde é grande, extensa, possui em seus domínios outros artefatos que trazem mensagens publicitárias, entretanto, estes últimos não foram contemplados. E por quê? Talvez porque não "poluem"; ao contrário, exaltam feitos do senhorio e pertencem a alguns donatários que comparecem com caixinhas em ano de eleição; em troca, são presenteados com benesses e outros mimos de caráter questionável.

Há quem viva num mundo em constante mutação totalmente parado: deve fazer parte das personagens descritas pelo saudoso Raul Seixas que acreditam que um dia a Terra parou e ficaram permanentes a repressão, revanchismo, rixa, típicos de fanfarrões mimados, sedentos por novas batalhas infrutíferas... porque os canalhas não desistem, não envelhecem!!!

Meu abraço àqueles que resistem e insistem na missão sacrossanta de fazer comunicação de maneira saudável, sem ceder a pressões e devaneios de mandatários que resistem em colocar pijamas e insistem em deitar no berço esplêndido das frivolidades. 

De volta...

Dia desses um brother do pacato vilarejo Taveirópolis, no recôncavo de Araçatuba, Zé Marcos, me repreendeu: "Mermão, qual é, qual foi, por que não escreve lá no blog, esqueceu dele", demonstrando sua ira para com este omisso blogueiro radicado em Araras, eternamente enquanto dura. O cara tá certo... com tanta novidade manera, notícias superpositivas, por que não postar agora, né?!

Bom, foda-se, eu posto quando eu quiser, Zé Marcos, pouca telha e cara de mamão!!!

A dois dias....

Bando,

uma das coisas que mais aprendi a apreciar em Araras é a proximidade do final de semana... pra viajar! Sim,há coisas maneiras pra se fazer um pouco longe de uma cidade que fica a 170 km de São Paulo, a 80km de Campinas (e só pra não falá que não falei das laranjas), a 26 km de Limeira. É isso mesmo: o bom de morar em Araras é saber que pelo menos dois dias na semana dá pra esticar até uma cidade maior e com mais opção de lazer, cultura, gastronomia (é lógico- bem coisa de gordo mesmo) e, principalmente,  para reunir os amigos e família.

Pegando uma carona na eleição das Sete Maravilhas de Araras (pois é, manêro, a cidade quer eleger suas sete maravilhas locais... otimistas, digo, ufanistas, não?!). Eu já escolhi meu monumento preferido da cidade - a placa indicativa da pista da Anhangüera (SP-330) que lá na frente vai dar acesso a outras que nos levam de Araras para Araçatuba, São Paulo, Campinas.

Parece que os nativos não gostaram do meu voto, agora mais do que nunca declarado e antes só confidenciado na redação de um jornal local pelo qual passei! (mas nem precisem levar a sério, afinal, um pouco de irreverência distrai e alivia a pressão).

Mas, é sério, bando! É confortante saber que estou a dois dias de rever a galera esperta de que tanto gosto em Atacity: meus pais, meus outros dois pais em sociedade com minha mulher, Carla, (que são meus sogros), irmãos, cunhadas e quem sabe meu mano velho padim Diogo "Los Hermanos" Rocha, com sua barba "chama-chato" indefectível

É isso aí (como diriam dois caras de quem tanto gosto Ana Carolina e Seu Jorge): Araçatoba, there we go, com saudades e doida pra te ver. Saudações são-paulinas, afinal EU NUNCA vou parar de rir... desculpa aí, gambazada alvinegra!!!

 

Aloha

Saudações, discípulos de Zé Marcos, o Buda (sem n mesmo) dos jornalistas blogueiros de AraçaToba

Nesse verdadeiro côro-de-pica (vai e volta) que se tornou minha entrada e súbita saída no mundo blogger, volto em definitivo (credo, isso virou jargão na voz de Gavião Duendo, aquele locutorrrrrrrrrrrrrrrr irrrrrrrrrrrrrrrrritante, torrrrrrrrrrrcida brrrrrrrrasileira) com a CUmplicidade, digo, ANUência do nosso buda-mor de Taveirópolis, Zé Marcos, o maior editor-executivo com calvície progressiva de todos os tempos da FR.

Na real, baboseiras momentaneamente à parte, eis aqui um espaço pra trocar uma idéia com a galera de Araçatuba e cercanias da qual eu gosto muito, em especial agora, longe de tudo (em Araras), mas perto de todos por meio deste espaço cibernético. 

Grande abraço, é muito bom estar de volta... e perto de vocês!

Força sempre... a todos nós!

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, ARARAS, CENTRO, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English
MSN - joaodepaulapinto@hotmail.com

 
Visitante número: